A QUESTÃO DA TIMIDEZ


A QUESTÃO DA TIMIDEZ

Texto escrito por Iracema Cerdan Zavaleta Galves *

 

Ser tímido não é nada fácil, não é mesmo? É mais difícil de se fazer amizades quando se é tímido. É difícil arrumar namorado. E até é difícil tirar dúvidas com os professores na escola. Em casos extremos, a timidez pode até atrapalhar a pessoa a se manter em um emprego.

O que fazer? Como superar esses desafios?

Uma das primeiras questões que temos de refletir sobre uma pessoa tímida é o quanto ela acredita nela mesma. Será que ela sabe o quanto ela é capaz de fazer? Muitas vezes, a timidez está relacionada com a baixa autoestima ou a insegurança.

Pessoas que têm medo de serem julgadas ou criticadas tendem a se fechar mais e não conseguem expor seu ponto de vista, mesmo acreditando nele. Isso se torna um problema ainda mais sério quando o tímido perde grandes oportunidades e deixa de experienciar coisas novas.

Sabe-se que a opinião dos outros, de familiares e de amigos, é importante, mas se a pessoa for muito influenciada por ela a ponto de não conseguir realizar simples atividades sem consultar o outro, acaba sendo um grande problema. Há casos em que a decisão cabe somente ao próprio indivíduo, como por exemplo, a profissão que devemos seguir (é ele que vai sofrer as consequências de uma decisão destas pelo resto da vida, então nada mais importante que ele seja capaz de tomá-la sem ser influenciado pelos demais).

vergonha                Assim, ao notar que a timidez pode ser um grande problema ou quando se percebe que as coisas começam a dar muito errado porque você não consegue se colocar, está na hora de fazer alguma coisa para reverter esse quadro.

  • O primeiro passo é perceber quais são as suas qualidades. O que é que eu faço realmente bem? Por que é que as pessoas gostam de mim? O que é que me torna único?
  • É importante também perceber os pensamentos que causam os sentimentos de insegurança e refletir sobre quais fundamentos eles estão baseados. Será que uma ação que causou certo constrangimento alguma vez ainda vai causar essa mesma reação? Será que você não aprendeu algo com isso e já pode alterar o resultado?
  • Não espere tanto o feedback dos outros. Lembre-se que não é possível agradar a todos e que as pessoas são diferentes, com gostos próprios. Se tiver de agradar a alguém que seja você mesmo!
  • Se o problema for na hora de falar em público, treine bastante antes. Se tiver certeza daquilo que você vai falar é mais fácil lidar com o frio na barriga na hora de se apresentar.
  • Se a questão aparece quando você vai conversar com uma pessoa que não tem tanta intimidade, é importante saber que você tem muitas coisas interessantes para mostrar. Nesses casos, outra dica interessante é você demonstrar interesse pelo outro, pelas coisas que ele tem a contar também – você vai ver como é fácil arrumar assunto depois de perceber as afinidades que os dois têm.

* Psicóloga, pedagoga, mestre em Psicologia da Educação, Iracema Cerdan Zavaleta Galves (iracema.cerdan@gmail.com)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *