Berlim e a Segunda Guerra Mundial

[:pb]Vestígios sobre a Segunda Grande Guerra estão espalhados por toda Berlim, na Alemanha. Aquele que se interessa por esse episódio da história mundial seguramente terá, na cidade, uma grande fonte de aprendizado.
Muitos de seus monumentos ainda preservam as marcas da guerra: buracos de balas nas paredes ou partes de prédios destruídos. Um exemplo é a Igreja da Memória, que foi construída em 1895 e bombardeada em 1943. A torre destruída segue ali, para lembrar a história. Outra igreja foi construída ao lado, esta com características bem diferentes àquelas que estamos acostumados para uma igreja.

Igreja da Memória bombardeada
Igreja da Memória bombardeada (Berlim, 2015).
Interiores da nova Igreja
Interiores da nova Igreja (Berlim, 2015).
Falar em Segunda Guerra, na Alemanha, é lembrar do nazismo e as atrocidades feitas ao comando de Hitler contra alguns grupos: homossexuais, mendigos, deficientes físicos e mentais, comunistas e judeus.
Interior de Neue Wache, monumento dedicado aos que sofreram com a guerra e o nazismo
Interior de Neue Wache, monumento dedicado aos que sofreram com a guerra e o nazismo (Alemanha, 2015).
A perseguição aos judeus foi algo muito marcante nesse período da história e marca a cidade de Berlim atualmente com diversos monumentos, como o Memorial dos Judeus Mortos na Europa.

Memorial dos Judeus Mortos na Europa
Memorial dos Judeus Mortos na Europa (Alemanha, 2015).
Estando em Berlim, passeie também pelo Bairro Judeu, onde se encontram casas e sinagogas e relembram um pouco da perseguição nazi.
sinagoga
Sinagoga (2015)

Bebelplatz é outro ponto interessante, embora não haja muito o que ver ali. Foi nessa praça que, em 1933, os nazistas queimaram os livros censurados. Para representar esse acontecimento, no chão, há um vidro onde se pode ver, abaixo, uma grande estante branca vazia, sem livros.

Bebelplatz
Bebelplatz (Alemanha, 2015).
Espaço, em Bebelplatz, que recorda a queima dos livros em 1933
Espaço, em Bebelplatz, que recorda a queima dos livros em 1933 (Berlim, 2015).
O fim da Segunda Guerra é marcada com a chegada dos russos a Berlim e a libertação de seu povo das mãos dos nazistas. Esse fato pode ser recordado com o grande monumento ao Soldado Desconhecido, construído pelos russos com a intenção de mostrar seu poder.
Monumento ao Soldado Desconhecido em Berlim
Monumento ao Soldado Desconhecido (Berlim, 2015).

No entanto, a Segunda Guerra Mundial deixa Berlim destruída e a cidade dividida entre os ganhadores: Estados Unidos, Reino Unido e Rússia. Para separar o lado comunista do lado capitalista, constrói-se o Muro de Berlim em 1961.
O Muro dividiu a cidade e a população berlinense até 1989, quando finalmente foi derrubado.
Para recordar mais esse triste acontecimento ao país, em diversas partes da cidade há pedaços do muro com informações interessantes sobre a Guerra Fria e sobre as pessoas que tentavam atravessá-lo.

Uma das partes do Muro de Berlim que foi preservada
Uma das partes do Muro de Berlim que foi preservada (2015).

 [:pe]Vestígios sobre a Segunda Grande Guerra estão espalhados por toda Berlim, na Alemanha. Aquele que se interessa por esse episódio da história mundial seguramente terá, na cidade, uma grande fonte de aprendizado.
Muitos de seus monumentos ainda preservam as marcas da guerra: buracos de balas nas paredes ou partes de prédios destruídos. Um exemplo é a Igreja da Memória, que foi construída em 1895 e bombardeada em 1943. A torre destruída segue ali, para lembrar a história. Outra igreja foi construída ao lado, esta com características bem diferentes àquelas que estamos acostumados para uma igreja.

Igreja da Memória bombardeada (Berlim, 2015).
 Interiores da nova Igreja (Berlim, 2015).

Falar em Segunda Guerra, na Alemanha, é lembrar do nazismo e as atrocidades feitas ao comando de Hitler contra alguns grupos: homossexuais, mendigos, deficientes físicos e mentais, comunistas e judeus.

Interior de Neue Wache, monumento dedicado aos que sofreram com a guerra e o nazismo (Berlim, 2015).


A perseguição aos judeus foi algo muito marcante nesse período da história e marca a cidade de Berlim atualmente com diversos monumentos, como o Memorial dos Judeus Mortos na Europa.

Memorial dos Judeus Mortos na Europa (Berlim, 2015).


Estando em Berlim, passeie também pelo Bairro Judeu, onde se encontram casas e sinagogas e relembram um pouco da perseguição nazi.

Bebelplatz é outro ponto interessante, embora não haja muito o que ver ali. Foi nessa praça que, em 1933, os nazistas queimaram os livros censurados. Para representar esse acontecimento, no chão, há um vidro onde se pode ver, abaixo, uma grande estante branca vazia, sem livros.

Bebelplatz (Berlim, 2015).

 

Espaço, em Bebelplatz, que recorda a queima dos livros em 1933 (Berlim, 2015).


O fim da Segunda Guerra é marcada com a chegada dos russos a Berlim e a libertação de seu povo das mãos dos nazistas. Esse fato pode ser recordado com o grande monumento ao Soldado Desconhecido, construído pelos russos com a intenção de mostrar seu poder.

Monumento ao Soldado Desconhecido (Berlim, 2015).

No entanto, a Segunda Guerra Mundial deixa Berlim destruída e a cidade dividida entre os ganhadores: Estados Unidos, Reino Unido e Rússia. Para separar o lado comunista do lado capitalista, constrói-se o Muro de Berlim em 1961.
O Muro dividiu a cidade e a população berlinense até 1989, quando finalmente foi derrubado.
Para recordar mais esse triste acontecimento ao país, em diversas partes da cidade há pedaços do muro com informações interessantes sobre a Guerra Fria e sobre as pessoas que tentavam atravessá-lo.

Uma das partes do Muro de Berlim que foi preservada (Berlim, 2015).

 [:]