Contribuições de Vigotski para a educação


Ao falar de aprendizagem somos conduzidos a falar de desenvolvimento.

Seguem algumas posições teóricas que apresentam seus pontos de vista a esse respeito:

1“Os processos de desenvolvimento da criança são independentes do aprendizado” (VIGOTSKI, 2007: 88). Esta é a visão piagetiana sobre a aprendizagem, pois se refere a que tudo aquilo que o indivíduo aprende, de alguma maneira, depende do desenvolvimento, das estruturas operatórias. “Uma vez que essa abordagem se baseia na premissa de que o aprendizado segue a trilha do desenvolvimento e que o desenvolvimento sempre se adianta ao aprendizado, ela exclui a noção de que o aprendizado pode ter um papel no curso do desenvolvimento ou maturação daquelas funções ativadas durante o próprio processo de aprendizado. O desenvolvimento ou a maturação são vistos como uma pré-condição do aprendizado, mas nunca como resultado dele. (…) o aprendizado forma uma superestrutura sobre o desenvolvimento, deixando este último essencialmente inalterado” (VIGOTSKI, 2007: 89).

2Aprendizado é desenvolvimento. Aqui, ambos os processos “coincidem em todos os pontos” (VIGOTSKI, 2007: 90). Assim como a teoria anterior, esta também tem base biológica. Dará origem às tendências comportamentais na área educacional, sendo Thorndike um de seus representantes.

3“A relação entre aprendizagem e desenvolvimento tenta superar os extremos das outras duas, simplesmente combinando-as” (VIGOTSKI, 2007: 90). Este modo de ver a aprendizagem está relacionada com teorias da gestalt, que defendem que a influência da aprendizagem nunca é específica, ou seja, há uma capacidade geral que pode ser transferida a outras áreas. “Uma vez que uma criança tenha aprendido a realizar uma operação, ela passa a assimilar algum princípio estrutural cuja esfera de aplicação é outra que não unicamente a das operações do tipo daquela usada como base para assimilação do princípio. Consequentemente, ao dar um passo no aprendizado, a criança dá dois no desenvolvimento, ou seja, o aprendizado e o desenvolvimento não coincidem” (VIGOTSKI, 2007: 94).

4Zona de desenvolvimento proximal.

Antes de explicitar esta última, convém dizer que Vigostki, para propor sua teoria, faz uma leitura da literatura da época e verifica as respostas que tinham até então. Cabe também ressaltar que todas as teorias têm aspectos válidos e trazem contribuições importantes.

Assim, VIGOTSKI (2007: 95) defende que tanto o aprendizado quanto o desenvolvimento estão presentes na vida do indivíduo desde o seu nascimento. Desta maneira, “o aprendizado deve ser combinado de alguma maneira com o nível de desenvolvimento da criança”.

Para o autor, zona de desenvolvimento proximal “é a distância entre o nível de desenvolvimento real, que se mediacaocostuma determinar através da solução independente de problemas, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da solução de problemas sob a orientação de um adulto ou em colaboração com companheiros mais capazes. (…) A zona de desenvolvimento proximal provê psicólogos e educadores de um instrumento através do qual se pode entender o curso interno do desenvolvimento. Usando esse método podemos dar conta não somente dos ciclos e processos de maturação que já foram completados, como também daqueles processos que estão em estado de formação, ou seja, que estão apenas começando a amadurecer e a se desenvolver” (VIGOTSKI, 2007: 97-98).

 

Referência bibliográfica:

VIGOTSKI, L.S. Interação entre aprendizado e desenvolvimento. In: A formação social da mente. 7ª ed., São Paulo: Martins Fontes, 2007, p. 87-105.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *