Educação comparada: SISTEMA EDUCACIONAL ESPANHOL


 

Às vezes nos perguntamos o motivo de alguns países terem um melhor desempenho nas avaliações internacionais e outros irem tão mal. Uma das maneiras de entendermos um pouco essa situação é comparando a estrutura de educação entre os países.

Por isso, expomos aqui uma simples apresentação sobre o sistema educacional espanhol.

reflexoes_clip_image002

Legenda: 1) Prova específica. 2) Prova específica e diploma do nível médio correspondente. 3) Sem título e mínimo de 18 anos ou 16 em situações especiais. 4) Prova de acesso à universidade. 5) Condições variadas em função da idade e idiomas cursados nos níveis cursados. 6) Acesso ao nível intermediário, sempre que o idioma seja o cursado como primeira língua estrangeira no Bachillerato.

Na Espanha, a criança pode ingressar na escola antes dos 6 anos, quando entra na Educação Infantil, mas esta etapa não é obrigatória. A Educação Infantil compreende dois ciclos de três anos cada e seu objetivo é auxiliar no desenvolvimento físico, intelectual, social, afetivo e pessoal da criança.

A educação obrigatória inicia-se com a Educação Primária, ou seja, quando a criança tem 6 anos completos. Essa etapa está dividida em três ciclos de dois anos cada: ciclo inicial, ciclo médio e ciclo superior. O objetivo da Educação Primária é promover a socialização das crianças, auxiliar no contato com a cultura e ajudar o estudante a ser uma pessoa autônoma.

A sequência nos estudos se dá na Educação Secundária Obrigatória, que instrui o estudante para que ele seja capaz de continuar seus estudos, seja no Bachillerato (curso preparatório para aqueles que desejam cursar a educação superior), seja na Formación Profesional (prepara o estudante para uma profissão e incorporá-lo ao mercado de trabalho). Ao terminar essa etapa da educação básica é permitido ingressar no mercado de trabalho.

Aqueles que não terminaram a Educação Secundária na idade adequada têm a possibilidade de frequentar o Programa de Cualificación Profesional Inicial, para que se qualifique profissionalmente.

Com 16 anos, quando o estudante termina a Educação Secundária Obrigatória, deve-se escolher cursar o Bachillerato ou os Ciclos Formativos de Grado Medio, que incluem tanto cursos de Artes e Esportes quanto a Formação Profissional.

O Bachillerato, última etapa da educação básica, tem duração de dois anos e não é de caráter obrigatório. O objetivo dessa etapa é aprofundar os estudos anteriores da escola e preparar para a universidade. Há disciplinas comuns (para todos os alunos); as optativas e as de cada modalidade (escolhidas pelos alunos).

Já a Formação Profissional, um dos Ciclos de Grado Medio, tem uma duração que varia entre 1300 e 2000 horas e capacita o estudante para o mercado de trabalho, ou seja, oferece conhecimentos práticos e habilidades próprias para um trabalho qualificado. Ao terminar esse curso, o estudante sai com o título de técnico. A Formación Profesional permite que se continuem os estudos nos Ciclos Formativos de Grado Superior na mesma área.

 

Fontes consultadas:

BERNARD I GARCIA, Joan Carles; MARHUENDA FLUIXÁ, Fernando. O sistema de qualificação profissional em Espanha e os trabalhadores pouco qualificados. In: Revista Europeia de Formação Profissional. No. 42/43, 2007/2008, p. 94-106. Disponível em: http://www.cedefop.europa.eu /etv/Upload/Information_resources/Bookshop/491/42_pt_MarhuendaFluixa.pdf Acesso: 30 jul 2009.

CONSEJERÍA DE EDUCACIÓN DE LA COMUNIDAD DE MADRID. Guía para padres 2009. Disponível em: http://www.educa.madrid.org/web/crif.acacias/ index.php?option=com_content&view=article&id=1030:guia-para-padres-2009& catid=1:novedades&Itemid=2. Acesso: 4 ago 2009.

El sistema educativo. Disponível em: http://www.educaweb.com/contenidos/ educativos/sistema-educativo/educacion-infantil/. Acesso: 04 mar 2015.

HERNÁNDEZ GORDILLO, Adolfo. Qualificações Profissionais no Âmbito Educativo Espanhol. Disponível em: http://www.formedil.it/reforme/copenhague /gijon/documenti/hernandez_pt.doc.  Acesso: 30 jul 2009.

Real Decreto 1558/2005, de 23 de diciembre, por el que se regulan los requisitos básicos de los Centros integrados de formación profesional. Disponível em: http://noticias.juridicas.com/base_datos/Laboral/rd1558-2005. html. Acesso: 10 ago 2009.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *