Dica de Leitura em Espanhol: Lecciones de Poesía para Niños Inquietos

Escrito por Iracema Cerdan Zavaleta Galves

Luis García Montero fala com muita clareza e leveza sobre poesia – escrever, ler, apreciar – em seu livro Lecciones de Poesía para Niños Inquietos.

Critica o modo de fazer poesia voltada ao público infantil, quando, por exemplo, os conhecimentos das crianças são minimizados, limitando qualquer assunto a animais, ou quando o uso de aumentativo ou diminutivo é exacerbado – este uso exagerado empobrece o texto.

Por outro lado, o autor defende a importância da rima uma vez que ela tem como função chamar atenção sobre algumas palavras e também brincar com a melodia do vocabulário. E, acrescenta: “ao escolher palavras que repetem um mesmo final, desenham com os sons um traço que serve para delimitar o espaço do poema, um lugar intermediário entre a ficção e a realidade que nos convida a levantar histórias na nossa imaginação1” (MONTERO, 2000: 117).

MONTERO (2000: 14) também nos faz refletir sobre o exagero que pode ser evidenciado na escrita de um poema. Alerta: “ninguém nos leva a sério se somos demasiado doces, demasiado chorões, se reclamamos muito ou se somos exageradamente poéticos1”.

No entanto, para fazer poesia é preciso aprender a olhar: “a poesia sempre nasce de um olhar, porque os versos, as metáforas, os adjetivos precisos, as palavras mágicas, os jogos e as mudanças de sentido são uma forma especial de ver o mundo1” (MONTERO, 2000: 19).

MONTERO (2000) explica que devemos ter conhecimento em diversos aspectos para escrever com maestria. Inclusive, compara um poeta com um atleta: ambos devem treinar muito para desempenhar bem sua função e ser reconhecido por ela. Se, por um lado, o atleta acorda cedo, faz seu treino em dias de chuva ou de sol, de calor ou de frio, se alimenta bem e etc., por outro lado, o poeta deve estudar, ler, escrever, saber olhar e ter imaginação.

Além disso, para se fazer bem um poema é importante saber o significado do tempo, pois estamos feitos de tempo e ele está presente em tudo, inclusive nos poemas. E saber usar as palavras, uma vez que “a palavra é o mais importante que temos, o mais nosso, aquilo que podemos oferecer aos demais1” (MONTERO, 2000: 81).

Enfim, o livro, além de ser de uma leitura gostosa, nos faz refletir sobre o ato de escrever e também sobre maneiras de viver de modo mais leve e prazeroso.

MONTERO, Luis García. LECCIONES DE POESÍA PARA NIÑOS INQUIETOS. Granada: Comares, 2000.

Para quem se interessou, o livro está disponível em PDF em: https://gimnasiomoderno.edu.co/pdf/exlibris/exlibris_19.pdf

______________

1Tradução livre.